A economia da internet

A Internet está impulsionando o crescimento econômico e a criação de emprego. Para vencer neste novo mundo, as empresas precisam fortalecer seus balanços “digitais”.

Desde o dia em que o primeiro domínio foi registrado em 1985, a Internet não parou de crescer. Ela navegou através de recessões múltiplas e um quase colapso e continuaram a aumentar em uso, tamanho impacto, alcance. A Internet tornou-se, simplesmente, indispensável.

Com esse intuito em uma pesquisa realizada pela Boston Consulting Group (BCG) demostrou o poder econômico da internet nas economias do G-20. E destacou o seguinte:

Até 2016, haverá 3 bilhões de usuários de Internet em nível mundial, quase metade da população do mundo. A economia da Internet irá atingir 4,2 trilhões de dólares nas economias do G-20.

Para se ter uma ideia, se fosse uma economia nacional, a economia da Internet se classificaria no topo do mundo nos próximos cinco anos, atrás apenas dos EUA, China, Japão e Índia, e à frente da Alemanha.

Por outro lado, dentro das economias do G-20, a economia online já atingiu 4,1% do PIB, ou US$ 2,3 trilhões, em 2010, superando economias como a italiana e brasileira. Atualmente, a Internet contribui com 8% do PIB (somatória das riquezas de um país) em algumas economias, como por exemplo, o Reino Unido, alimentando o crescimento e a geração de empregos.

No Brasil, a economia online gira US$ 46 bilhões por ano, o que equivale a 2,2% do PIB. Dos US$ 46 bilhões que formam o que o BCG chamou de “PIB da internet” do Brasil, US$ 34 bilhões vêm do comércio online, US$ 14 bilhões são investimentos e US$ 4 bilhões são gastos do governo no setor. A soma dá US$ 52 bilhões, mas os pesquisadores subtraírem desse montante os US$ 6 bilhões que representam o deficit comercial do Brasil com outros países nesse segmento.

No que diz respeito a publicidade online, no Brasil, 15,6% do dinheiro gasto com publicidade é destinado à internet; os jornais impressos ficam com 10,1%, e as revistas, 7,5%. Somente em seis países do G-20 o dinheiro gasto com publicidade na internet já supera os anúncios de jornal. São eles;  Brasil, Argentina, Japão, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos.

Para tanto, é importante lembrar, se o Brasil quiser continuar avançando na economia online é mais do que necessário investir em acessos rápidos em inúmeros pontos pelo país afora não somente para a Copa de 2014 e Olímpiadas, mas também, na democratização do conhecimento e da informação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>